• Envolvidos na morte de João Alberto no Carrefour são demitidos por justa causa

Envolvidos na morte de João Alberto no Carrefour são demitidos por justa causa

24 de novembro de 2020 \\ Geral

O Grupo Vector, empresa terceirizada do hipermercado Carrefour, anunciou que o contrato de trabalho dos dos vigilantes envolvidos no espancamento e assassinato de João Alberto, 40 anos, na quinta-feira, 19, foi rescindido por justa causa.


De acordo com informações do UOL, a empresa afirmou lamentar “profundamente os fatos ocorridos e se sensibiliza com os familiares da vítima”. O Grupo Vector anunciou também que oferecerá auxílio à Polícia Civil na elucidação dos fatos e que “submete seus colaboradores a treinamento adequado inerente às suas atividades, especialmente quanto à prática do respeito às diversidades, dignidade humana, garantias legais, liberdade de pensamento, bem como à diversidade racial e étnica”.


Segundo o veículo, os vigias Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, policial militar temporário, foram flagrados pelas câmeras de segurança espancando João Alberto até a morte. Os dois tiveram prisão preventiva decretada pela Justiça e foram autuados em flagrante por homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, asfixia e recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE