• Água Fria : Renan de Ziza vence na justiça e tem julgamento da Câmara que rejeitou suas contas anulado quando exerceu interinamente a Prefeitura de Água Fria- BA

Água Fria : Renan de Ziza vence na justiça e tem julgamento da Câmara que rejeitou suas contas anulado quando exerceu interinamente a Prefeitura de Água Fria- BA

21 de julho de 2020 \\ Geral

O Tribunal de Justiça da Bahia julgou favorável em junho, o mandado de segurança movido pelo pré-candidato a prefeito de Água Fria, na Bahia, Renan Araújo Barros, popularmente conhecido como Renan de Ziza, contra a Câmara de Vereadores da cidade.


Em maio deste ano, o Ministério Público, já havia dado parecer favorável a Renan e nada impede que ele dispute as eleições municipais de 2020.


Entenda o caso:

Renan de Ziza assumiu interinamente a prefeitura de Água Fria – BA, por nove meses, no período de 06 de fevereiro de 2007 a 24 de outubro do mesmo ano e teve suas contas do exercício de 2007 rejeitadas pela Câmara de Vereadores, em julgamento realizado na sessão ordinária do dia 26 de agosto de 2019.

Perseguição:

Renan de Ziza, se diz vítima de uma perseguição política para impedi-lo de concorrer as eleições municipais para o cargo de prefeito de Água Fria.
“Queriam tirar do eleitor o direito de votar em mim nestas eleições, me tirando da disputa, quando a Câmara articulada por um vereador que se diz oposição, que julgou apenas as minhas contas e não julgou as outras dos três últimos gestores. Hoje eles sabem da nossa força, da vontade do povo de votar na gente”, frisou o pré-candidato a prefeito pelo PL.

Feliz com a decisão, Renan disse ainda que está otimista e não tem dúvidas que sai vitorioso nestas eleições.

“Eu não tenho nenhum processo judicial que me tire da eleição, não respondo a nada por desvio de recursos públicos, só tinha essas contas que a câmara tinha rejeitado que eles diziam que eu não podia ser candidato. Por tanto estou apto. Confio muito em Deus e tenho certeza que o povo da minha terra agora vai me dá a oportunidade de fazer um grande governo”, concluiu.

Da Redação


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE