• Novo recorde: Brasil registra 881 mortes por COVID-19 em 24 horas

Novo recorde: Brasil registra 881 mortes por COVID-19 em 24 horas

13 de maio de 2020 \\ Geral

O Brasil registrou nas últimas 24 horas 881 novos óbitos e 9.258 novos diagnósticos positivos para o coronavírus. Segundo o boletim do Ministério da Saúde desta terça-feira, o país agora contabiliza 12,4 mil mortes e 177.589 casos da doença. A taxa de letalidade do vírus no país é de 5,2%. Para conter o avanço já quase fora de controle, vários municípios brasileiros já convivem com restrições ainda maiores de isolamento social.

O balanço anterior, divulgado nessa segunda pela pasta federal, registrava 11.519 mortes e 168.331 casos. De domingo para segunda, haviam sido contabilizados 396 novos óbitos e 5.632 novos diagnósticos positivos da doença. Até então,  o recorde de mortes contabilizadas de um dia para o outro é o do boletim do último dia 8, quando foram registradas 751 novas mortes.

Com os novos registros, segundo plataforma da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, o Brasil ultrapassou a Alemanha no número de casos e agora é o sétimo país que mais tem casos de COVID-19 e o sexto em número de mortes. Os alemães contabilizam  cerca de 173 mil casos. Vale ressaltar que, conforme estudiosos vêm apontando nas últimas semanas, os números de testes feitos no país ainda é muito inferior ao restante do mundo.

São Paulo é o estado com o maior número de infectados e mortos; 47.719 e 3.949, respectivamente. O boletim anterior apontava 46.131  casos e 3.743 óbitos. A taxa de letalidade atual da doença no estado é de 8,2%

A segunda unidade federativa com mais confirmações é o Rio de Janeiro, onde há 18.486 casos e 1.928 mortes. No estado, o índice de letalidade é de 10,4%. O boletim anterior registrava 17.599  doentes e 1.189 mortos.

Em terceiro lugar está o Ceará, com 18.412 casos e 1.280 mortes por coronavírus. Por lá, a taxa de letalidade da doença é  de 6,9%. Também no Nordeste, Pernambuco  contabiliza 14.309  pessoas diagnosticadas registra 1.157 mortes – a taxa de letalidade é de 8%.
Amazonas, que já vive um colapso no sistema de saúde, é o quinto estado brasileiro que mais registra casos. Há 14.168 pessoas diagnosticadas com a doença e 1.098 mortos. Segundo o ministério, a doença no estado tem uma taxa de letalidade de 7,74% . Por lá, a situação é tão crítica que o setor funerário já enfrenta dificuldades e luta para não entrar em colapso.
O boletim anterior do Ministério da Saúde apontava que o Amazonas tinha 12.919 casos e 1.035 mortes.

Fonte: Pauta Bahia

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE