• Feira de Santana: Em meio aos desafios da pandemia, aulas do Arte de Viver acontecem online

Feira de Santana: Em meio aos desafios da pandemia, aulas do Arte de Viver acontecem online

27 de abril de 2020 \\ Geral

Em Feira de Santana, assim como várias cidades do Mundo, diversas medidas restritivas que auxiliam a prevenção da COVID-19 foram adotadas. Uma das medidas é a suspensão de todas as aulas do Programa Arte de Viver, realizadas no Centro de Cultura Maestro Miro e em outras localidades do município.

O Programa, realizado pela Prefeitura de Feira de Santana, através da Fundação Egberto Costa, atende aproximadamente 5 mil alunos no semestre 2020.1, com atividades e oficinas gratuitas de teatro, música, dança, etc.

Com o intuito de minimizar os impactos causados pela suspensão, e evitar mais atrasos na execução do calendário de aulas programado no início do semestre, a direção da FUNTITEC, juntamente à direção e professores do Programa Arte de Viver, estabeleceu a continuidade das atividades de maneira remota, ou seja, através da internet.

A proposta do diretor do Arte de Viver e do CCMM, Luiz Augusto Oliveira, foi sugerida após o primeiro decreto publicado no Diário Oficial Eletrônico, no dia 16 de março, suspendendo as atividade do programa temporariamente. Posteriormente, outros decretos foram publicados, mas a suspensão das aulas segue por tempo indeterminado.

Para Luiz Augusto, é importante destacar a disponibilidade de todo o corpo administrativo do Projeto e da FUNTITEC, que abraçou e tornou realidade a causa em meio aos desafios e dificuldades enfrentadas no cenário do enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. Ele também comenta que os esforços têm alcançado resultados positivos.

“Todos nós, diretores, professores, apoiamos a idéia de utilizar a tecnologia em benefício dos alunos e dar continuidade ao projeto. Sabemos que os tempos são difíceis, esta é uma situação jamais vista e que exige a união de esforços para que tenhamos força para continuar. Rotineiramente, os professores enviam relatórios à direção mostrando que as atividades estão sendo realizadas em uma frequência e produtividade excelentes”, pondera Luiz Augusto.

De acordo com as autoridades sanitárias, a volta das atividades depende da diminuição do número de novos casos de coronavírus no município. Para que isto aconteça, é necessário que a população colabore e permaneça em casa, saindo apenas em casos extremamente necessários.

Tanto a  Fundação Egberto Costa quanto à Prefeitura de Feira de Santana, estão trabalhando sem medir esforços para conter os efeitos da pandemia no município.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE