• 1.786 votos pra vereador em Feira sem gastar R$ 1 real; conheça o

1.786 votos pra vereador em Feira sem gastar R$ 1 real; conheça o "milagre" de Nêgo Éder

13 de fevereiro de 2020 \\ Geral

Com as eleições cada vez mais baseadas no poderio econômico das campanhas, conseguir, ao menos, uma expressiva votação parece um sonho distante. Não para Éder dos Santos Muniz, um verdadeiro campeão de votos nas eleições municipais em Feira de Santana, no ao de 2016.
Nêgo Éder, como é mais conhecido, foi, simplesmente, o candidato a vereador mais votado em um único bairro na eleição para vereador em 2016 na cidade. Sem gastar nada, contando com a ajuda de amigos, Éder obteve 1.786 votos, sendo 1.457 apenas no bairro Queimadinha.


Não foi suficiente para sua eleição, mas mostrou que, com criatividade e respeito ao eleitor, é possível driblar a falta de recursos. “A força está nos amigos”, salienta.
Éder contou ao Protagonista que até mesmo a decisão de ser candidato a vereador, na época pelo PSC, foi ao acaso, como muitas coisas em sua vida. “Um amigo me convidou porque via o carinho com que eu tratava as pessoas na Queimadinha e também como era tratado. Me recomendaram ir pro PSC. Eu não tinha experiência em nada de política. Aceitei, mas sem muito tempo para fazer campanha, devido às viagens a trabalho. Talvez se fosse melhor orientado e tivesse saído por outro partido, poderia me eleger”, lamenta.
A votação em 2016 foi conseguida, segundo ele, em apenas 30 dias de campanha. “E dez deles com uma virose que me impossibilitou de sair de casa. Ficava na porta só cumprimentando as pessoas e sendo cumprimentado”, conta.
Na época com 34 anos, não podia abrir mão do trabalho para fazer campanha com antecedência. “Morei na rua quando jovem. Muitas dificuldades. Antes da época da eleição eu já era mecânico, vendedor, eletricista, tudo que aparecia eu topava fazer pra ganhar o sustento da família”, revela.
Para desenvolver a campanha a vereador em 2016, Éder contou apenas com 20 mil santinhos doados pelo partido. “O jingle de campanha foi um presente de um amigo músico. Se me perguntar a receita para essa votação toda, eu digo que foi amizade e carinho”, analisa.
Surpreendentemente, Éder não tem cargos públicos, mesmo com a votação expressiva – algo comum na política partidária após uma eleição. “Fui procurado, mas eu acho que devo manter essa forma de ser político: sem individualismo, pensando no bem coletivo, não individual”.
Para se ter uma ideia do feito de Éder nas eleições de 2016, nenhum dos 21 vereadores eleitos na época superou sua votação em um único bairro. Quem mais chegou próximo foi o vereador Zé Filé, com seus 1.186 votos no Feira X.
Sobre 2020, Éder confirma que será candidato pela segunda vez. “Sem dinheiro, de novo, mas com muito mais experiência, amor no coração e força para olhar as pessoas de frente. Vou reformar o minicarro que construí em 2016 para percorrer as ruas da Queimadinha e também visitar outros bairros. A força de nossa campanha virá das crianças. Elas me adoram e eu adoro elas”, pontua Éder, acrescentando que ainda avalia por qual partido será candidato, uma vez que vai deixar o PSC.
Fonte: O Protagonista 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE