• FEIRA DE SANTANA: Profissionais de saúde da rede pública e privada são capacitados sobre o novo coronavírus

FEIRA DE SANTANA: Profissionais de saúde da rede pública e privada são capacitados sobre o novo coronavírus

10 de fevereiro de 2020 \\ Geral

Profissionais que atuam na rede pública e privada de saúde foram capacitados quanto ao manejo clínico do paciente com suspeita do novo coronavírus. A iniciativa promovida pela Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal de Saúde, foi realizada na última quinta-feira (06) e tem o objetivo de preparar os profissionais para possíveis casos que possam ocorrer. No Brasil não há casos confirmados para a doença.

O treinamento ministrado pela médica infectologista, Melissa Falcão, abordou sobre o histórico da doença no mundo, as formas de transmissão, sintomas e entre outras particularidades do vírus.

De acordo com Melissa Falcão, mesmo sem casos confirmados da doença no Brasil a população deve se atentar aos cuidados respiratórios ao tossir ou espirrar, e higienizar as mãos frequentemente.

“Evitar contato com pessoas doentes ou gripadas, espirrando, com febre e tossindo é essencial para evitar a contaminação e transmissão não só do coronavírus, mas também de outras síndromes respiratórias”, explica a médica infectologista.

“Se houver algum caso suspeito em Feira de Santana o profissional de saúde deve notificar imediatamente a Vigilância Epidemiológica e tomar medidas de precaução e isolamento do paciente”, pontuou Melissa Falcão.

Ela ainda completou que existe um risco mundial de transmissão do coronavírus, mas que não é possível determinar se Feira de Santana poderá ter casos da doença. “Outras situações de grandes epidemias mundial como o ebola não chegaram ao Brasil, mas mesmo assim devemos estar vigilantes aos possíveis casos”, relata.

O evento contou com a presença da secretária de saúde, Denise Lima Mascarenhas, que ressaltou a importância da atualização dos profissionais para um atendimento qualificado a população.

“É importante que estejamos preparados para atender qualquer situação que possa ocorrer em nossas unidades de saúde”, enfatizou a secretária de saúde.

Ações de educação em saúde e orientação estão sendo realizadas em locais com grande fluxo de pessoas como terminais rodoviário, central, sul, Feiraguay e entre outros locais da cidade.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, explica que os sintomas clínicos do novo coronavírus são principalmente respiratórios, como febre, tosse e dificuldade para respirar. "Os casos mais graves podem evoluir para pneumonia e a transmissão ocorre de pessoa a pessoa pelo ar, através de secreções aéreas da pessoa infectada ou contato com secreções contaminadas", salientou.

Um dos critérios para a notificação de eventuais casos, são em situações de pessoas com sintomas suspeitos e que tenham histórico de viagem para áreas de transmissão (cidade de Wuhan, na China) que apresentam sintomas nos últimos 14 dias após a viagem. Em Feira de Santana, até o momento, não há notificação de casos suspeitos ou confirmados.

Coronavírus

Os coronavírus (2019 - nCoV) compõe uma grande família de vírus, conhecidos desde meados da década de 1960, que receberam esse nome devido às espículas na sua superfície, que lembram uma cora (do inglês, crown). Podem causar desde um resfriado comum, até Síndromes Respiratórias Aguda Grave, como Síndrome Respiratória do Oriente Médio.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu o primeiro alerta da doença em 31 de dezembro de 2019, depois que as autoridades chinesas notificaram casos de uma misteriosa pneumonia na cidade de Wuhan, identificado posteriormente como um novo coronavírus.

A Vigilância Epidemiológica de Feira de Santana recomenda: Cobrir a boca e nariz com a dobra do antebraço ao tossir ou espirrar; Evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas; Lavar frequentemente as mãos; Usar lenço descartável para higiene nasal; Evitar tocar nas mucosas dos olhos; Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos ou copos; Manter os ambientes bem ventilados e evitar o contato com animais selvagens e doentes em fazendas ou criações.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE