• Pentavalente: cerca de 4 mil crianças precisam ser imunizadas em Feira de Santana

Pentavalente: cerca de 4 mil crianças precisam ser imunizadas em Feira de Santana

07 de fevereiro de 2020 \\ Geral

Em Feira de Santana as doses da vacina pentavalente estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde e de Saúde da família desde segunda-feira (03). Cerca de 2.500 doses foram recebidas pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde, na última quinta-feira.

De acordo com a enfermeira coordenadora do setor de imunização, Simone Neves, o quantitativo é insuficiente para suprir a demanda reprimida. “Temos ainda muitas crianças que necessitam ser vacinadas devido o período em desabastecimento nacional. Precisamos reparar essa situação e contamos com a colaboração dos pais ou responsáveis”, afirma.

O Governo do prefeito Colbert Martins Filho realizou um mapeamento através dos agentes comunitários de saúde em busca das crianças com atraso da vacina pentavalente. De acordo com o levantamento, cerca de 4.090 crianças precisam ser imunizadas.

“É provável que o quantitativo de crianças com atraso na vacina seja superior ao que foi registrado”, avalia Simone Neves.

Pais ou responsáveis podem vacinar a criança em qualquer unidade de saúde, sendo necessário apresentar documentos pessoais e caderneta de vacinação do menor. As unidades básicas de saúde e de saúde da família funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h e as salas de vacina das 8h às 16h30.

A vacina pentavalente previne contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e doenças causadas por Haemophilus influenzae tipo b. Ela é aplicada em três doses, nos seis primeiros meses de vida do bebê.

Segundo nota técnica do Ministério da Saúde, a falta da vacina em diversas regiões do país foi motivada após reprovação do controle de qualidade da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), impedindo assim a distribuição dos lotes por parte do MS.

Em Feira de Santana um quantitativo reduzido de doses foram recebidas nos meses de outubro e novembro. A vacina estava em falta desde o mês de agosto e em janeiro a Secretaria de Saúde recebeu um quantitativo superior. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE