• Polícia Militar da Bahia leva ação de combate ao câncer de mama para faculdade

Polícia Militar da Bahia leva ação de combate ao câncer de mama para faculdade

29 de outubro de 2019 \\ Geral

Uma iniciativa de sensibilização e combate ao câncer de mama levou a Polícia Militar da Bahia a promover uma palestra sobre o tema na Faculdade Estácio, no bairro da Calçada, na manhã desta terça-feira (29). A iniciativa integra a campanha Outubro Rosa e foi organizada pelo Departamento de Promoção Social da Polícia Militar.

O evento se estende até o final da manhã com uma programação multidisciplinar que destaca as ações de prevenção, bem como a importância de realizar o autoexame para detecção precoce do câncer de mama. Foram convidadas para o evento, integrantes da Polícia Militar e estudantes da instituição.

A palestra de abertura foi ministrada pelo coronel Marcos Nolasco, médico mastologista e diretor do Departamento de Saúde da Polícia, que destacou a importância de ofertar conhecimento às mulheres. “Para se combater o câncer de mama é um tripé, no qual é necessário ter pesquisa, atendimento no dia a dia e difusão do conhecimento. Pesquisas indicam que as mulheres que têm mais conhecimento, e só por este fato, considerando a mesma faixa econômica, têm um melhor tratamento. Com isso, elas procuram atendimento médico mais rápido e conseguem uma menor mutilação, menor quimioterapia, radioterapia, ou seja, o tratamento é mais suave”.

Além de palestras que abordam aspectos psicológicos, rede de proteção e o impacto do diagnóstico de câncer, também são realizadas oficinas de autocuidado e beleza.
De acordo o diretor do Departamento de Promoção Social da PM-BA, coronel Renato Ventura, a corporação vem realizando uma série de atividades ao longo do mês de outubro para abordar o tema. “Essa é uma campanha da qual a Polícia Militar não poderia ficar fora, e nesta iniciativa do Outubro Rosa trazemos nossas policiais militares femininas para receber orientações sobre o câncer de mama. A ideia é conscientizar sobre a prevenção e transformar nossas policiais em multiplicadoras em espaços como as Bases Comunitárias de Segurança, fazendo com que essa conscientização alcance a nossa sociedade”, explica. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE