• “É preciso pensar no futuro e unir forças, Feira de Santana é maior que tudo”, dispara Lulinha na audiência pública sobre segurança marcada por autoridades federais, estaduais, municipais e a população

“É preciso pensar no futuro e unir forças, Feira de Santana é maior que tudo”, dispara Lulinha na audiência pública sobre segurança marcada por autoridades federais, estaduais, municipais e a população

19 de outubro de 2019 \\ Geral

Com um debate bastante amplo, construtivo e significativo para o município de Feira de Santana, a audiência pública sobre segurança com ênfase no Centro de Abastecimento, por conta das recentes ocorrências de homicídios no local, inclusive de um delegado de polícia, bem como de assaltos, realizada nesta sexta-feira (18), na Câmara Municipal transcorreu de maneira positiva, participativa e dinâmica.

Por iniciativa da Comissão de Obras, Urbanismo, Infraestrutura e Meio Ambiente e conduzida pelo presidente da mesma, vereador Luiz Augusto de Jesus (Lulinha), a audiência teve o objetivo de buscar soluções visando coibir os crescentes casos de violência no município, além de ouvir a população e autoridades cabíveis para elaborarem medidas para resolverem tal problemática, e contou com a presença de importantes representantes federais, estaduais, municipais e a população. 

Lulinha, preocupado em trazer benefícios para o povo, independente de bandeira partidária, primando pelo bem comum, ao usar a tribuna ressaltou que segurança pública é dever de todos. “É preciso pensar no futuro e unir forças, pois Feira de Santana é maior que tudo. Vamos pensar no futuro e buscar juntos a solução de agora e não com críticas ao que já passou”, disse.  

O deputado federal José Nunes (PSD) sempre presente no município também esteve participando do debate, frisando que é muito importante que todos estejam imbuídos do mesmo propósito. “As coisas começam a acontecer. O policiamento hoje é mais forte. Mas todos nós sabemos que a segurança pública não se faz como as pessoas pensam, com policiais. Não temos condições de colocar policial em toda esquina, em toda parte. Nosso entendimento é que a segurança pública passa pela educação de nosso povo”, afirmou o parlamentar, lembrando algumas medidas já anunciadas pelo Governo do Estado, como o uso de tecnologia de ponta e aumento do efetivo das polícias.

A imagem pode conter: 2 pessoas

A Audiência Pública reuniu representantes das polícias Civil e Militar. O delegado Roberto da Silva Leal, coordenador regional, falou sobre a integração das forças de segurança, mas alertou que a questão envolve todos os segmentos da sociedade. Já o Coronel PM Luziel Andrade, comandante de Policiamento Regional Leste, falou sobre a redistribuição das companhias, colocamos uma para os distritos, mais os municípios de São Gonçalo e Tanquinho, e do mapeamento das escolas. 

Da parte do Governo Municipal, se pronunciaram o diretor do Centro de Abastecimento Cristiano Gonçalves, secretários José Pinheiro, de Desenvolvimento Urbano, Antônio Carlos Borges Júnior, de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, cabendo a este falar da segurança, não apenas do Centro de Abastecimento, mas do Centro Comercial como um todo. “Tem o videomonitoramento, mas é preciso alguns posicionamentos”. Borges Júnior destacou ainda o Projeto de Requalificação do centro da cidade.

A audiência foi conduzida pelo vereador  Lulinha, que compôs a mesa ao lado dos secretários Antônio Carlos Borges Júnior e José Pinheiro; delegado Roberto da Silva Leal; deputados federais José Neto e José Nunes; Coronel PM Luziel Andrade; diretor do Centro de Abastecimento Cristiano dos Santos Gonçalves e Comandante da Guarda Municipal Antônio Élio Neris dos Santos. No plenário e na galeria a vereadora Neinha Bastos (vice-presidente da comissão), os vereadores Gilmar Amorim (membro da comissão), João Bililiu, Edvaldo Lima, Luiz da Feira, Roberto Tourinho, Zé Curuca, Fabiano da Van, Ronaldo Caribé, presentes ainda Edmária Medeiros da associação dos feirantes; e representantes da OAB, do deputado estadual José de Arimateia, administradores dos distritos e diversas representatividades que tiveram a oportunidade de usar a tribuna e fazer questionamentos as autoridades presentes.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE