• Deputado quer medidas concretas do governo federal para conter manchas de óleo

Deputado quer medidas concretas do governo federal para conter manchas de óleo

12 de outubro de 2019 \\ Geral

Titular da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), o deputado estadual Marcelo Veiga (PSB) cobra medidas concretas do governo federal para conter manchas de óleo que afetam o ecossistema de praias do litoral nordestino. Nesta sexta-feira (11), algumas das praias de Salvador foram atingidas pelo óleo, que segundo laudo da Universidade Federal da Bahia (Ufba) é proveniente de bacia petrolífera da Venezuela. “A Marinha do Brasil e a Petrobras já tinham apontando para esse dado revelado pela Ufba. Entretanto, o governo brasileiro segue com morosidade e nada é feito de efetivo para conter as manchas e evitar que elas se espalhem”, frisa o parlamentar.

De acordo com Marcelo Veiga, apesar da origem ter sido revelada, não existe ainda a informação de como esse petróleo cru foi lançado ao mar. “Pesquisadores do Ceará apontam que a origem desse óleo que afeta nossas praias nordestinas seja de navio que naufragou em 1944 na costa de Pernambuco. Mesmo assim, precisamos tomar uma previdência imediata. Existem dados ainda que apontam que as manchas podem causar reações alérgicas em pessoas. Os banhistas estão preocupados, em plena véspera de feriado, a população está com medo de ir às praias”, informa o deputado. Ele aguarda que o governo federal aja para conter esse avanço e ajude os municípios no processo de limpeza.

A professora e bióloga, Laisa Brito, explica que existem mecanismos para conter a mancha de óleo, mas que com os cortes de recursos em pesquisas pelo governo de Bolsonaro, aumentou a dificuldade de testes. Ela aponta que existem instruções para quem teve contato com a mancha. “É importante que lave rapidamente com óleo de cozinha e água gelada e se inalou ou fez contato com mucosas é bom procurar um médico. E se encontrou algum animal com a mancha não devolva ao mar, procure o Ibama ou órgãos ambientais, esses animais precisam de cuidados”, destaca.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE