• Prévia olímpica: Brasil vence bem os EUA e segue invicto na Liga Mundial

Prévia olímpica: Brasil vence bem os EUA e segue invicto na Liga Mundial

19 de junho de 2016 \\ Esportes

O clima era de Olimpíada. Casa cheia, horário semelhante, adversário da primeira fase da Rio 2016 e situações de pressão. Estavam todos lá. A postura que Bernardinho tanto cobra também, sobretudo nos dois primeiros sets arrasadores. O confronto entre Brasil e Estados Unidos, na Arena Carioca 1, entrou pela madrugada. E no principal teste da primeira etapa da Liga Mundial, a seleção jogou com intensidade, conseguiu sair da situação complicada na quarta parcial graças à passagem de Eder pelo saque, e venceu os Estados Unidos com autoridade: 3 a 1 (25/19, 25/15, 22/25 e 25/23).

Wallace e Anderson foram os maiores pontuadores , com 18 cada um. A equipe viaja na segunda-feira para a Sérvia, onde será disputada a segunda semana do torneio. Por conta do nascimento de seu primeiro filho, previsto para o mesmo dia do embarque, Lucão recebeu autorização para se juntar ao grupo depois. Na quinta, a equipe entra em quadra para enfrentar a Bulgária.

"A gente estava treinando muito saque ao longo desse período de preparação. Fizemos treino com radar para cada um conhecer a questão de velocidade cada um. E a gente está aperfeiçoando porque sabemos que vai ser uma arma fundamental para a Olimpíada. Foi muito bom poder ter conseguido encaixar aquela sequência de saques no final e ajudar o time. O time se saiu muito bem, jogando nesse horário e mantendo um nível muito bom. Suportamos muito bem. O jogo de hoje pode ter sido uma prévia da final olímpica, então foi muito bom poder conseguir essa vitória para o grupo ver que está fazendo um bom trabalho, se dedicando muito. A gente teve um nível de jogo muito bom nesses três primeiros compromissos", disse Eder

Sobre a dor de cabeça que o técnico deverá ter para fechar as vagas de centrais, ele abre um sorriso e lembra que vem trabalhando firme para garantir um lugar na lista de 12 nomes.

"Todo mundo está na briga e a gente faz a nossa parte: treina, se dedica muito. São poucas vagas e numa hora o corte tem que acontecer. Eu faço o máximo sempre. Estou buscando estar lá, é o meu sonho. Mas se não estiver, vou estar com a consciência tranquila de que fiz o melhor que pude. Quero muito estar no grupo e estou brigando para isso", afirmou.

Fonte: Globo Esporte.com
 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE