Sedeso com esquema especial na Micareta

18 de abril de 2015 \\ Especial Micareta

O camarote da diversidade e da inclusão social, espaço destinado a pessoas portadoras de deficiência e idosos, está mais uma vez garantido na Micareta. Iniciativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social  (Sedeso).
 
No sábado, às 14h30min, desfila o bloco "Me Leva Que eu Vou", uma tradição dos Cras, Creas e do Centro de Convivência de Idosos Dona Zazinha. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, responsável pela formulação e execução da política de promoção social no âmbito do município, também elaborou um esquema especial de trabalho para os dias da Micareta.
 
"Como fazemos o ano todo, vamos marcar presença na Micareta e agir na garantia dos direitos sociais de nossa população", explica o secretário Ildes Ferreira, que anunciou uma novidade: em parceria com a Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade Social e UEFS foi criado o Observatório da Igualdade Racial, com a finalidade de reunir técnicos do governo, advogados, assistentes sociais e educadores no circuito da folia, para o acompanhamento e combate a possíveis casos de racismo na Micareta. 
 
A Sedeso também vai executar ações de apoio e defesa dos  direitos da criança, do adolescente, idosos e pessoas portadoras de deficiência. “Somos parte integrante de uma rede de proteção a todos esses segmentos da sociedade e, como tal, em caso de denúncia com flagrante, serão adotadas medidas imediatas”, pontua o secretário Ildes Ferreira.
 
Se houver uma denúncia e, for constatado o fato, a polícia ou outro órgão a quem compete as providências, vai ser acionada imediatamente. “Nossa presença será intensa e constante nos quatro dias da Micareta", destaca o secretário. Entre as preocupações está também a de evitar o trabalho infantil.
 
ALERTA
 
Para isso a Sedeso vai contar com quatro equipes de abordagens, formadas por assistentes sociais e educadores que estarão percorrendo o circuito. Serão afixados painéis em todo o circuito da festa para chamar a atenção e alertar que o trabalho infantil é crime.
 
Nas barracas e demais locais de grande fluxo de pessoas, a Sedeso estará atuando na colocação de adesivos com mensagens de combate à violência contra a mulher e contra a exploração sexual infanto-juvenil. 
 
Fonte: Secom

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE