• Animais podem apresentar problemas durante a Micareta‏

Animais podem apresentar problemas durante a Micareta‏

09 de abril de 2015 \\ Especial Micareta

A audição dos cães e gatos é muitas vezes mais sensível do que a do ser humano, e isso requer cuidados com o animal de estimação, ainda mais em período de festas populares, como a Micareta, onde som alto é comum, e pode causar problemas ao pet, caso são sejam adotados os cuidados necessários.
 
De acordo com o Veterinário Jasson Souza, o animal pode ser acometido com perda parcial da audição. Há também casos de dor de cabeça e irritabilidade, nada diferente dos efeitos em nós, seres humanos, quando expostos ao som excessivo. Os sinais são fáceis de serem percebidos nos pets. “O primeiro sintoma é o stress, o animal fica arfando, correndo de um lado ao outro e com isso há um transtorno físico e mental no cachorro”, alertou o especialista.
 
E para prevenir esses efeitos, os cuidados são simples. Se você estiver ao lado do seu animal de estimação durante o período da folia de momo, a melhor forma de minimizar o stress do pet é dar atenção e carinho. “O barulho para eles incomoda bastante e então deve-se fazer algo para eles não fiquem muito agoniados”, recomendou.
 
Mas se você vai viajar e está impossibilitado de levar o animal de estimação, ou só terá tempo para pensar em folia durante os quatro dias de Micareta, a melhor saída para não deixar seu pet na mão é hospedá-lo em um hotel próprio para a estadia dos bichos. Dr. Jasson Souza adverte que deve existir uma pesquisa antes de confiar o animal aos hotéis. “Sempre tem que saber a como é local, com quantos outros animais ele vai ficar hospedado, se tem veterinário responsável, fazer uma consulta com especialista para verificar que o animal está saudável, para não ser surpreendido com algum problema”, explicou.
 
FUI PARA FOLIA E DEIXEI O PET EM CASA
 
Muito curiosos, os animais geralmente não encontram resistência em comer algo que é dado pelos humanos. Mas ai também mora o perigo. Sair e deixar os animais expostos a transeuntes pode causar inconvenientes e surpresas desagradáveis. Dr. Jasson Souza afirma que o cão, por exemplo, pode ser treinado e dessa forma não ingerir qualquer coisa que é oferecida.
 
“Condicionar o cão a comer no horário certo, não oferecer petiscos fora de hora, lanches ou até comida humana. Toda vez que ele for comer alguma coisa estranha, relacionar este gesto a algum som desagradável para reprimi-lo”, disse. “Tem que ter cuidado também com as pessoas que oferecem bebidas alcoólicas”, alertou. 
 
Mais informações à imprensa e agendamento de entrevistas:
MF Assessoria de comunicação: Reginaldo Júnior (75) 8899-3662
 
WhatsApp: (75) 9125-0697
 
Jornalista Responsável:  Fred Abreu SRTE/3891 BA

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE