• Bancada do PSD garante voto para a reforma da Previdência

Bancada do PSD garante voto para a reforma da Previdência

11 de julho de 2019 \\ Geral

A reforma da Previdência, que começou a ser votada pelo plenário da Câmara dos Deputados na tarde desta quarta-feira (10), terá o voto favorável do PSD. A decisão foi tomada na manhã desta quarta, quando o líder André de Paula (PSD-PE), reuniu a bancada para deliberar sobre o fechamento de questão na votação da reforma. Por ampla maioria, os parlamentares do PSD na Câmara deliberaram favoravelmente ao fechamento de questão e apoio ao texto do relator Samuel Moreira.

O apoio às mudanças propostas pelo governo foi confirmado também pelo presidente do PSD na Bahia, o senador Otto Alencar. Ele explicou que a decisão dos pessedistas baianos no sentido de apoiar a reforma foi tomada após conversas com os pre sidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, ambos do DEM, e o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Nesses contatos, Alencar tratou das reivindicações do Governo do Estado da Bahia, no sentido de se garantir a aprovação de projetos que devem direcionar à Bahia cerca de R$ 4 bilhões. “Tive uma reunião com o governador e ele me passou os itens que a Bahia precisa. O governo Bolsonaro assumiu o compromisso de aprovar os projetos e vamos votar a favor. O que queremos é uma solução para o Estado da Bahia”, afirmou o senador.

O PSD baiano tem cinco integrantes na Câmara: Otto Alencar Filho, José Nunes, Antônio BritoPaulo Magalhães e Charles Fernandes.

Votação

O Plenário vai decidir sobre os chamados destaques simples – os apresentados individualmente por deputados – à proposta de reforma da Previdência. Para serem analisados, precisam ser admitidos pelo Plenário. É a última fase antes da votação do texto-base. Esse tipo de destaque costuma ser rejeitado pelo Plenário, que se concentra nos questionamentos apresentados pelas bancadas.

Em termos gerais, a reforma da Previdência estabelece uma idade mínima para a aposentadoria: 65 anos para homens e 62 para mulheres. São impostas também mudanças no cálculo dos benefícios, que vai contabilizar a média de todas as contribuições e exigir mais tempo na ativa para um valor maior na aposentadoria. Serão exigidos 40 anos de contribuição para um benefício igual a 100% da média das contribuições, enquanto o piso será de 60% da média. Há regras de transição para quem já está na ativa. A proposta também aumenta as alíquotas de contribuição previdenciária.

Fonte: PSD

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE