•  Policlínicas regionais em Simões Filho e São Francisco do Conde estão com obras aceleradas

Policlínicas regionais em Simões Filho e São Francisco do Conde estão com obras aceleradas

06 de julho de 2019 \\ Geral

Com a inauguração das policlínicas regionais de saúde em Simões Filho e São Francisco do Conde até o final do ano, 1 milhão de baianos de dez municípios da RMS terão acesso consultas em até 18 especialidades diferentes, além de exames como ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, ecocardiografia, eletroencefalograma, endoscopia, colonoscopia, entre outros. O secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, vistoriou as obras nas duas localidades nesta sexta-feira (5) e conferiu que ambas estão em ritmo acelerado. 

De acordo com o secretário, a policlínica em Simões Filho está 97% concluída e tem previsão de inauguração em setembro. "Estamos investindo aproximadamente R$ 20 milhões entre obras, aquisição de equipamentos, mobiliário e micro-ônibus", pontua Vilas-Boas, ao ressaltar ainda que trata-se de um projeto vitorioso. "A Bahia já conta com oito policlínicas regionais em funcionamento que atendem cerca de 4 milhões de pessoas e o índice de satisfação está próximo a 100%. Estamos consolidando esse modelo que tem se tornado referência de sucesso em todo o Brasil.  É referência porque muda o paradigma entre os municípios, diminui os atritos e cria uma nova visão do sistema de saúde, em que todos se sentem parte do processo", afirma.

Já a policlínica regional em São Francisco do Conde encontra-se 50% concluída e tem previsão de inauguração em novembro. O modelo de gestão das policlínicas é realizado em parceria entre Governo do Estado e os municípios que integram os consórcios de cada uma das unidades. Os municípios cobrem 60% dos custos de operação, sendo que o valor é dividido proporcionalmente ao número de habitantes de cada um deles, e o Estado fica responsável pelos 40% restantes. O atendimento ocorre por meio do encaminhamento das unidades de atenção básica dos municípios e o transporte dos pacientes é realizado em micro-ônibus com ar-condicionado e acesso a internet.

Outros investimentos

Ainda em 2019 serão entregues dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), sendo um em cada município, contribuindo assim para qualificar a rede de assistência psiquiátrica na Bahia. Com investimento total de R$ 4 milhões entre obras e equipamentos, as unidades serão responsáveis, quando em funcionamento, pelo acompanhamento clínico e reinserção social dos usuário, a exemplo do acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários. É um serviço de atendimento de saúde mental criado para ser substitutivo às internações em hospitais psiquiátricos. 

Duas academias de saúde também estão em construção em cada localidade. Os novos espaços irão contribuir para a promoção da saúde da população a partir da implantação de polos com infraestrutura, equipamentos e quadro de pessoal qualificado para a orientação de práticas corporais e atividade física e de lazer e modos de vida saudáveis. Na unidade, serão oferecidas aulas de ginástica, capoeira, jogos esportivos e populares, yoga, tai chi chuan, dança, teatro, música, pintura e artesanato.

“A melhor política de saúde é a prevenção, e uma gestão de saúde pública correta tem que cuidar, principalmente, para que a população não fique doente. A Academia de Saúde tem a função de estimular que as pessoas pratiquem atividade física”, detalha Vilas-Boas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE