• Reservatório de Cariacá é vistoriado pela Comissão do Meio Ambiente da ALBA

Reservatório de Cariacá é vistoriado pela Comissão do Meio Ambiente da ALBA

11 de junho de 2019 \\ Geral

Nesta segunda-feira (dia 10), o presidente da Comissão do Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), deputado estadual José de Arimateia (PRB), participou de uma Sessão Especial intitulada “Socorro para o Açude da Tapera”, na Câmara Municipal de Monte Santo, cidade localizada a 352 quilômetros de Salvador. Após a cerimônia, o Colegiado vistoriou a 13ª barragem da Bahia, acompanhado por populares que observaram cada detalhe da inspeção.

Barragem-Cariacá.png1

A visita foi sugerida pelo deputado estadual e membro suplente do Colegiado, Laerte do Vando (PSC). Segundo informações dos engenheiros presentes, o Açude da Tapera ou Reservatório de Cariacá, que é de responsabilidade do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs), não apresenta risco eminente de rompimento.

A barragem tem uma capacidade de 3,093 milhões de metros cúbicos. Ela tem a finalidade de suprir de maneira especial, a demanda de abastecimento de água para a população local, a dessedentação de animais e irrigação. O reservatório deu suporte na última estiagem a cerca de 300 caminhões pipa por semana atendendo a várias comunidades. Com as chuvas ocorridas em meados de fevereiro de 2019, o reservatório atingiu a sua cota de cheia.

De acordo com informações do engenheiro agrônomo e assessor técnico da Comissão do Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da ALBA, Eduardo Macário, o Açude de Cariacá é um dos mais antigos do Brasil e de grande importância para a cidade de Monte Santo. Ele sinalizou que foi verificado uma linha de infiltração e destacou a relevância do trabalho de conservação. “Foi constatado uma linha de infiltração o que é normal em barramentos, e não há risco eminente, pois não se constatou carregamento de material. Contudo, a manutenção das erosões no vertedouro, erosões próximas ao talude (jusante), conserto da parte superior da crista, limpeza da vegetação e manutenção dos acessos, tornam- se necessários”, aconselhou.

O deputado estadual José de Arimatéia declarou durante a cerimônia, no Plenário da Câmara Municipal de Monte Santo, que os problemas verificados nas barragens analisadas são em função dos entraves advindos pela falta de manutenção. Ele afirmou que o DNOCS declarou durante reunião com ele no dia 31 de maio, em Fortaleza, sobre a ausência de recursos próprios do órgão para a conservação assídua das barragens baianas. “Acredito que, nesse aspecto, a solução passa pela política. Cada deputado federal tem direito a R$ 15 milhões em emendas, que podem ser destinadas para a recuperação dos reservatórios. Prefeitos e vereadores têm crédito para bater na porta de deputados federais e solicitar verba para seu município. Quando fui vereador em Feira de Santana lutei por mais de R$ 5 milhões em prol do povo feirense. É o momento de unir forças para uma mudança significativa de cenário”, enfatizou Arimateia, que visitou três barragens a mais das 10 que a Agência Nacional das águas (ANA) classifica com algum nível de alerta.

A Comissão já visitou a Barragem de Araci, a RS1 e RS2, em Camaçari, situada na Região Metropolitana de Salvador (RMS), a Barragem de Afligidos, localizada no município baiano de São Gonçalo dos Campos, a Barragem de Rejeitos Mineração Caraíba S/A, em Jaguarari, a barragem de Apertado, em Mucugê, a de Pinhões, em Juazeiro, a barragem de Cipó, no município de Mirante, a barragem Luiz Vieira, a barragem de Santo Antônio e a de Tabua II, ambas situadas no município de Ibiassucê, além barragem de Zabumbão, no município de Paramirim. Por iniciativa do deputado José de Arimateia, no próximo dia 19 de junho, às 10h15, na Sala Eliel Martins, localizada na Casa Legislativa, ocorrerá a apresentação do relatório final sobre a situação das 13 barragens analisadas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE