• FEIRA DE SANTANA: SMT realiza Simpósio de Segurança para motociclistas dentro do Maio Amarelo

FEIRA DE SANTANA: SMT realiza Simpósio de Segurança para motociclistas dentro do Maio Amarelo

31 de maio de 2019 \\ Geral

A Prefeitura Municipal de Feira de Santana através da Superintendência Municipal de Trânsito - SMT, realizou na manhã desta quinta feira (30), no teatro do CEU da Cidade Nova, mais um importante evento da programação do Maio Amarelo 2019. O simpósio de segurança para motociclistas teve como objetivo apresentar dados e informações sobre a segurança dos motociclistas no trânsito, promovendo uma reflexão sobre os alto índices de acidentes ocorridos nesta modalidade de transporte.

O evento contou com a participação dos representantes dos mototaxistas, Associação dos motociclistas - AMO FEIRA, auto escolas, 3ª Ciretran, Polícia Rodoviária Federal, Esquadrão Asa Branca da Polícia Militar, Sest Senat, Comando de Policiamento da Regional Leste da Polícia Militar - CPRL, Grupamento de Bombeiros, SMTT, Guarda Municipal, Hospital Geral Clériston Andrade e SAMU. 

De acordo com dados registrados pela SMT, 75% dos acidentes com vítimas  em Feira de Santana acontecem com motocicletas. Segundo dados do Denatran, 25% dos ciclomotores registrados na Bahia são de Feira de Santana. Enquanto a capital baiana registra 1.225 ciclomotores, Feira de Santana registra 4.468 ciclomotores registrados. Segundo a 3 Ciretran, dos 290 mil veículos veículos registrados em  Feira de Santana, 80 mil são de duas rodas (motocicletas),  além da frota flutuante que transita diariamente na cidade. 

O grande crescimento da frota e os altos índices de acidentes com motos são uma preocupação e geram um desafio para todas as entidades envolvidas com o trânsito, principalmente para a saúde. Segundo dados do Ministério da Saúde, os acidentes de trânsito ocorridos em todo o país representam um gasto de 59 bilhões ano ao Sistema Único de Saúde, o que poderia construir 1800 novos hospitais e 28 mil escolas. 

O Hospital Geral Clériston Andrade atende Feira e mais 127 municípios e é referência em politraumatismo. A sua capacidade diária para atendimento é de 112 pacientes, mas todos os dias são atendidas entre 180 e 200, em sua maioria vítimas de acidente de trânsito com moto. Somente de janeiro a maio deste ano, foram registrados 850 atendimentos por acidentes de moto. Em todo o ano de 2018, foram realizados mais de 2.500 atendimentos a vítimas de acidentes com motocicletas.

Para o Diretor Geral do HGCA José Carlos Pintangueira, esta realidade é grave e preocupante, pois reflete em todo o sistema de saúde, que por muitas vezes deixa de atender outras demandas graves, pela falta de vaga. “O paciente que sofre de acidente com moto, politraumatizado,  leva de 20 a 40 dias internado, ocupando a vaga de quem também precisa de internamento por outra demanda grave de saúde. É algo que poderia ser totalmente evitado, por isso acho muito importante a Blitz da Lei seca, pois nos ajuda muito a diminuir estes índices”, reflete. 

O Comandante do Esquadrão de Motociclistas Asa branca,Major Trigo ressaltou a importância do trabalho de fiscalização, refletindo sobre o impacto imediato que ela promove diante da maior frota de motocicletas do interior da Bahia. “A importância da realização da blitz não é pela multa, mas pela vida. O Risco de acidente de moto comparado a veículo de 4 rodas é 10 vezes maior. Temos uma frota de ciclomotores proporcionalmente maior que da capital, e uma frota de motocicletas muito grande, por isso é preciso uma maior fiscalização”, afirma.

De acordo com o Superintendente Maurício Carvalho, é comprovado que 90% dos acidentes com mortes são causados pelo fator humano e poderiam ser evitáveis. “Os principais fatores que causam acidente são a  imprudência com a desobediência a legislação do trânsito. Muitos Invadem o luminoso amarelo ou vermelho de uma sinaleira, para ao final do dia ganhar poucos minutos  colocando a vida em risco. São maus hábitos que podem ser mudados pela educação, respeitando a sinalização de trânsito e pensando no próximo.”, comenta. 

Para a Coordenadora do SAMU em Feira de Santana, Maísa Macedo, os acidentes de trânsito representam um grave problema de saúde pública no Brasil. “Todos os dias o Samu de Feira de Santana realiza atendimento a acidentes com moto. É preciso refletir sobre as nossas práticas no trânsito e reforçar as ações de educação e fiscalização para mudar esta realidade”, comenta. No ano de 2017, o Samu registrou 2.082 atendimentos a acidentes com motos. Em 2018 esse número subiu para 2.358 atendimentos. Já neste ano, de janeiro até maio foram registrados 861 atendimentos. 

O Inspetor da Polícia Rodoviária Federal João Daniel destacou a Importância da interação das forças envolvidas com o trânsito, para mudar o atual panorama com ações integradas. “Houve um aumento de 40 % no número de morte nas rodovias federais em 10 anos.  Feira de Santana possui 2 trechos com maior índices de acidentes letais no Brasil, que ficam no anel de contorno. Por isso a nossa delegacia faz parte do Projeto Rodovida há 5 anos, para promover ações para diminuir os índices de acidentes de trânsito. É preciso que todas as entidades atuem neste sentido”. 

O presidente da associação de motociclistas Amo Feira, Luiz Santana, refletiu sobre a necessidade de englobar todos os fatores que envolvem o trânsito para buscar soluções efetivas. “No trânsito não somente a fiscalização traz respostas, precisamos muito da educação e conscientização da população para trazer essas respostas em curto, médio e longo prazo por um trânsito mais seguro, mas também precisamos de estradas melhores e um planejamento de mobilidade seguro e eficiente. Tenho 58 anos de idade, já andei por todo o Brasil e visitei 11 países de moto, nunca sofri um acidente”. Fonte: SECOM/PMFS

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE