• Bahia registra 122 vítimas de acidentes de trânsito envolvendo crianças

Bahia registra 122 vítimas de acidentes de trânsito envolvendo crianças

11 de outubro de 2018 \\ Geral

Nesta sexta-feira, é celebrado o Dia das Crianças. Mas, além de ser um dia dedicado aos pequenos, a data serve também para conscientizar a população quanto aos cuidados para com eles no trânsito, por serem um dos grupos mais vulneráveis a ocorrências. Para se ter uma ideia da gravidade da situação, 122 crianças de 0 a 7 anos foram vítimas de acidentes de trânsito de janeiro a setembro deste ano na Bahia, segundo dados do Dados da Seguradora Líder, administradora do Seguro DPVAT.

De acordo com as informações, 59 dessas vítimas foram passageiros de veículos como automóveis, motocicletas, caminhões e ônibus. Já 63 delas eram pedestres. Do total, 38 acabaram morrendo, 64 tiveram invalidez permanente e outros 20 – assim como os outros grupos que perceberam indenização – receberam o seguro para a cobertura de Despesas Médicas e Hospitalares (DAMS). Em relação à Região Nordeste, a Bahia respondeu por 17% dos 718 casos totais em 2018.

Já ao longo de todo o ano de 2017, 176 crianças de 0 a 7 anos foram vítimas de acidentes de trânsito no estado, sendo 87 delas passageiros e outros 89 pedestres. Com relação ao tipo de cobertura, 57 dos pagamentos foram por conta de morte, 107 com invalidez permanente e outras 12 por DAMS. Ampliando o alcance, ano passado, a Bahia teve um índice de 13,7% do total de registros no Nordeste: 1.281.

Em nível de Brasil, ano passado, foram 3.834 vítimas indenizadas, nesta mesma faixa etária em todo o país, contra cerca de 2.300 este ano. Os dados, conforme a Seguradora Líder, revelam ainda que a maior incidência de acidentes são os atropelamentos: mais de 2,4 mil vítimas pedestres (cerca de 63% do total).

De acordo com Rodolfo Rizzotto, especialista em segurança no trânsito, a frágil condição física, ainda em desenvolvimento, a comum distração e a dificuldade de percepção dos perigos enfrentados, mesmo acompanhado de seus responsáveis, são fortes facilitadores dos incidentes com pedestres dessa faixa etária. Já com relação aos passageiros, atitudes como o não uso dos equipamentos de segurança e imprudência dos adultos ao volante acabam se tornando frequentes causas de acidentes envolvendo os mais jovens.

Para a também especialista em trânsito, Cristina Aragón, os poderes públicos também têm papel importante para evitar que situações como essa aconteçam. “Segurança no trânsito ainda não é uma plataforma de trabalho de governo, uma prioridade. Enquanto isso não acontecer, ainda teremos muitas mortes. Quando a gente fala de trânsito, a grande preocupação é a ‘indústria de multas’ e fluidez, com as pessoas não querendo pegar congestionamentos. Mas elas mesmas desconhecem que isso é causado por elas, pelo fato da escolha equivocada do transporte individual”, criticou.

Coberturas

Vale lembrar que o DPVAT é um seguro de caráter social que indeniza vítimas de acidentes de trânsito, sem apuração da culpa e pode ser destinado a qualquer cidadão, seja ele motorista, passageiro ou pedestre. O seguro oferece três perfis de coberturas: morte (R$ 13.500), invalidez permanente (até R$ 13.500) e reembolso de despesas médicas e hospitalares da rede privada de saúde (até R$ 2.700).

Para ter acesso ao benefício, basta apresentar os documentos no ponto de atendimento escolhido no prazo de três anos a contar da data da ocorrência do acidente. A empresa dispõe de um site com a relação completa de locais de atendimento e os documentos necessários para solicitar cada tipo de indenização. Não é necessário nenhum intermediário para dar entrada no pedido de ressarcimento.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE